contato@ecg.med.br


(71) 3235-4963

Quatro em cada cinco infartos em homens podem ser evitados

Quatro em cada cinco infartos em homens podem ser evitados


Segundo estudo, alimentar-se bem, praticar exercícios, não fumar e beber moderadamente ajudam a prevenir quase 90% dos ataques cardíacos


Um estilo de vida saudável, como alimentação adequada, controle do peso e prática de exercícios físicos, são fatores reconhecidos por ajudar a proteger o coração. Agora, um novo estudo dá uma dimensão sobre o impacto desses hábitos sobre a saúde: de acordo com a pesquisa, eles podem prevenir cerca de quatro em cada cinco ataques cardíacos em homens.
O trabalho, feito na Suécia, analisou dados recolhidos durante onze anos de 20 000 homens saudáveis entre 45 e 79 anos de idade. Os pesquisadores consideraram que um estilo de vida de baixo risco para a saúde cardíaca inclui cinco fatores: adotar uma alimentação saudável, consumir de álcool moderadamente, não fumar, ser fisicamente ativo e não ter excesso de gordura abdominal.

O estudo concluiu que apresentar esses cinco fatores de proteção à saúde cardíaca, em comparação não apresentar nenhum deles, pode evitar 86% dos infartos entre homens dessa faixa etária ao longo de onze anos.
A pesquisa ainda descobriu que, individualmente, os hábitos também ajudam a reduzir o risco de ataque cardíaco. Deixar de fumar, por exemplo, diminui essas chances em 36%, enquanto diminuir a taxa de gordura abdominal evita 12% dos infartos. Além disso, consumir frutas, legumes e gordura pode reduzir em até 18% a probabilidade de um ataque cardíaco.
O estudo foi publicado nesta segunda-feira no periódico Journal of the American College of Cardiology. "O surpreendente não é o fato de um estilo de vida saudável prevenir ataques cardíacos, mas sim a forma drástica com que o risco do problema diminui devido a esses fatores", diz Agneta Akesson, professora do Instituto de Medicina Ambiental do Instituto Karolinska, na Suécia.

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/4-em-cada-5-infartos-em-homens-podem-ser-evitados


Autor: ASCOM