contato@ecg.med.br


(71) 3235-4963

HIPOTIREOIDISMO - 1



Pacientes com mais de 50 anos, particularmente do sexo feminino, devem ter como rotina a dosagem de TSH. O hipotireoidismo, quando não muito acentuado, pode ser o responsável por anormalidades às vezes muito discretas (obstipação intestinal crônica, rouquidão eventual, etc). MAS, frequentemente, pacientes com hipotireoidismo chegam no consultório com queixas óbvias e crônicas que nos levam facilmente ao diagnóstico, como é o caso dessa paciente de 66 anos. Leia um breve relato e veja inicialmente a fotografia de antes do tratamento, o vídeo feito na primeira consulta e, em seguida, uma fotografia de cerca de 30 dias depois de iniciado o tratamento:

HISTÓRIA CLÍNICA:
PACIENTE examinada pela primeira vez em setembro de 2007, procurou-nos porque fez um ECG que resultou anormal (BDAS + distúrbio difuso da repolarização ventricular) e porque descobriu há um mês estar diabética. Ao exame fáceis de hipotireoidismo e queixas que se arrastavam há anos (voz arrastada, queda de cabelo, rouquidão, sonolência, hipersensibilidade ao frio), relatando que já tinha procurado alguns médicos com tais queixas e sem nenhuma melhora. Solicitado laboratório.

08/10/2007
Hemograma: anemia hipocrômica microcítica (Hb de 10)
Rx de tórax com discreto aumento de AC
T3: 3,82 (VN acima de 60)
T4: 0,4 (VN acima de 0,75)
TSH: 225 (VN até 5)
Rx de tórax: discreto aumento de AC
Confirmado: HIPOTIREOIDISMO ACENTUADO

03/12/2007
Melhora ACENTUADA, família super contente e impressionada com a mudança completa
TSH ainda estava aumentado: 47,6 (VN entre 0,3 e 5)