Trigeminismo ventricular.

F.A., 87 anos, com queixa de palpitações freqüentes, chagásica e sem dispnéia

DADOS DO EXAME:

Ritmo: Sinusal.

Freqüência cardíaca: 75 bpm

SÂP: 70º

SÂQRS: -65º

SÂT: 60º

P: 70 ms

PR: 120 ms

QRS: 130 ms

 

CONSIDERAÇÕES GERAIS: * SÂQRS e QRS fora dos limites de normalidade. 1. QRS largo + repolarização tipo septal + morfologia unipolar de BRD. 2. SÂQRS no 2° quadrante, após -30°, com os primeiros vetores no 4° quadrante, associado a complexos rS em DII, DIII e aVF, com a maior onda S em DIII. 3. Complexos precoces alargados, não precedidos por ondas P, com pausas compensatórias completas, ocorrendo após cada dois complexos normalmente conduzidos

CONCLUSÕES: 1. Bloqueio de ramo direito de 3° grau. 2. Bloqueio divisional ântero-superior. 3. Trigeminismo ventricular.

 

TEXTO EXPLICATIVO:

Após cada duas sequências “P-QRS-T” normais, ocorre um complexo QRS alargado com morfologia de bloqueio de ramo, (uma extra-sístole ventricular), configurando-se um Trigeminismo Ventricular. As extra-sístoles podem ocorrer de forma esporádica, intermitente, ou mesmo podem apresentar uma sistemática bastante curiosa, surgindo após cada complexo normal (bigeminismo), após cada dois complexos normais (trigeminismo), após cada três complexos normais (tetrageminismo), etc. Podem ocorrer aos pares, quando então são denominadas “acopladas”. A partir de 3 extra-sístoles sucessivas, recebem o nome de taquicardia ventricular.  

Keywords: 
trigeminismo