Isquemia subepicárdica ântero-apical e lateral alta.

A.A.S., 54 anos, com dor precordial constritiva há 3 semanas, surgindo apenas aos esforços, associada a sudorese profusa e náuseas.
Tabagista desde a mocidade, hipertenso em uso regular de Captopril e Hidroclorotiazida

 TEXTO EXPLICATIVO:
No plano precordial, no sentido V1 → V6, as ondas T normais evoluem SEMPRE do negativo para o positivo, nunca o inverso; a partir do momento em que elas se apresentam positivas, devem permanecer positivas até V6.
Nesse exemplo as ondas T de V1 são positivas (deveriam, portanto, permanecer positivas até V6), tornam-se flagrantemente negativas, simétricas e pontiagudas a partir de V2, caracterizando uma isquemia subepicárdica ântero-apical.
A isquemia também atinge, embora com menor expressão eletrocardiográfica, as derivações DI e aVL (região lateral alta).
Não há ondas Q patológicas. 

Keywords: 
Isquemia subepicárdica